C19: Desemprego, um virar de página pessoal

Regularmente são apresentados os valores sobre o desemprego em Portugal. Os últimos números disponibilizados atingem níveis que já não se viam há mais de 20 anos e são o resultado natural da falência de muitas empresas e do lento recuperar da nossa economia.

O desemprego é um problema que afecta muitas pessoas, não só monetariamente, mas também psicologicamente. A situação agrava-se quanto mais velho for o desempregado, pois, além de ser necessária uma maior força de vontade para recomeçar a vida numa outra empresa, muitas vezes não é fácil encontrar um novo emprego, pois os empregadores procuram pessoas mais novas e com formação mais elevada.

Eu sou daqueles que acredita que Portugal está a mudar para melhor, apesar dos tímidos sinais positivos que vão surgindo. Por necessidades profissionais e empresariais, vou lendo as notícias sobre a criação de novas empresas de cariz tecnológico, nas áreas industriais, dos serviços, da informática e da Internet e, por essa razão, estou optimista e acredito que vamos conseguir apanhar a médio prazo o pelotão que vai à nossa frente.

Existem muitas sementes de inovação e de empreendorismo a germinar em todo o país. Como é natural, nem todas as sementes vão gerar árvores vigorosas e fortes, mas muitas irão certamente crescer e ajudar Portugal a ficar menos cinzento.

Arruda dos Vinhos está no coração da região oeste e às portas de Lisboa e tem razões para ter confiança no futuro próximo, já que vamos assistir a um conjunto de investimentos importantes a curto prazo: um novo aeroporto – seja na Ota ou em Alcochete, uma plataforma logística de grandes dimensões no concelho de Vila Franca de Xira e investimentos turisticos de grande qualidade em vários concelhos do Oeste.

Estes investimentos vão exigir muita mão-de-obra na fase de construção e na fase de exploração e, por isso, vão ser uma grande oportunidade para muitos que estão desempregados ou que pretendem dar um novo rumo à sua vida profissional.

Perante este cenário, penso que muitos dos desempregados devem aproveitar este hiato de tempo para adquirirem novas competências profissionais, uma vez que muitos dos novos empregos vão exigir, como requisitos mínimos, conhecimentos em informática e Internet e domínio da língua inglesa . Na verdade, são cada vez menos os empregadores que não exigem essas competências.

Ficar no desemprego é muitas vezes um golpe duro na vida de qualquer pessoa. No entanto, não deve ser motivo de desânimo. Actualmente, as empresas lutam pela sobrevivência e por uma posição relevante no mercado global e, consequentemente, despedir alguns empregados é mais uma necessidade de gestão do que um sinal de despreocupação social. Os empregos para a toda a vida terminaram, inclusive na função pública.

Por isso, a situação de desemprego deve ser aproveitada de uma forma positiva e útil. Nunca é tarde para aprender novas matérias, que poderão ser muito úteis para encontrar um novo emprego ou melhorar a nossa condição profissional. O desemprego, mais do que um ponto final, deve ser visto como um virar de página na vida.

Procure cursos de formação nestas áreas de conhecimento no centro de emprego de Vila Franca de Xira; aproveite as vantagens e oportunidades que, muitas vezes, são oferecidas; procure manter-se activo e útil socialmente; ofereça os seus préstimos a instituições sociais ou de beneficência como voluntário.

No futuro, que é já hoje, todos teremos de estar preparados para ter vários empregos ao longo da vida, investir regularmente na nossa formação profissional e ser mais flexíveis. Está na mão de cada um esse mesmo futuro.