C04: E-Banking

Um dos principais serviços disponíveis para os utilizadores da Internet é o e-banking ou banca electrónica.

Consultar os movimentos bancários… fazer pagamentos… efectuar transferências bancárias… pedir cheques e cartões de crédito ou de débito… consultar a situação dos empréstimos bancários… fazer simulações de crédito… comprar e vender aplicações financeiras… consultar a bolsa em tempo real… tudo isto é possível a qualquer hora do dia e a partir de qualquer local, utilizando um computador ou até telemóvel…

As vantagens oferecidas pela utilização destes serviços são reconhecidas tanto por clientes particulares como empresas, já que, segundo as instituições bancárias, cerca de 20% das transacções dos bancos são feitas através da Internet.

Com o e-banking as suas idas ao banco podem tornar-se numa raridade… e sem sair de casa tem acesso a uma agência bancária. Só ainda não é possível levantar dinheiro, funcionalidade que levará muitos e bons anos até ser real (se é que algum diria virá a acontecer).

Os serviços bancários portugueses são dos mais avançados da Europa, veja-se o e-banking e a rede do Multibanco (que é uma das melhores redes do género a nível mundial).

Onde existem bancos existirão sempre tentativas de fraude e a Internet não está, naturalmente, imune a essa situação. Apesar disso, o aumento do número de utilizadores do e-banking deve-se em grande parte à qualidade, garantias e comodidade dos serviços disponibilizados pelos bancos.

O processo actualmente mais usado pelos “os amigos do alheio” chama-se Phishing, que não é mais do que enviar um e-mail em nome do banco, conduzir os utilizadores a um site falso, mas totalmente idêntico ao dos bancos, e esperar que sejam inseridos os códigos de acesso para registar os mesmos numa base de dados dos “piratas”.

Os bancos dão prioridade máxima a este tipo de problemas e dispõem de equipas só dedicadas a estas questões e com frequência alertam os clientes para tentativas de fraude que chegam por e-mail ou por outras vias.

No entanto, por muito que os bancos se esforcem a controlar algumas fraudes, o maior número de fraudes e problemas ocorrem devido ao descuido dos clientes.

Se é um utilizador do e-banking deve seguir um conjunto de regras, tais como:
– Nunca responder aos e-mails onde se solicitam passwords em nome dos bancos;
– Alterar as palavras-passe com frequência;
– Nunca deixar as palavras-passe em locais de acesso fácil, como a carteira, a mesa de trabalho ou nas costas do cartão multibanco;
– Memorizar as palavras-passe. A sua memória é o local mais seguro;
– Ler com frequência no site do seu banco quais as recomendações que são dadas em termos de segurança.

Apesar do e-banking ainda ser motivo de desconfiança para muitas pessoas é, segundo as estatísticas, um dos sistemas mais seguros para efectuar as suas transacções bancárias, mais do que o Multibanco ou os cheques, por exemplo.

Se ainda não utiliza este serviço, fale com o seu banco e peça uma demonstração sobre o e-banking, custos de utilização do serviço, as funcionalidades disponíveis e cuidados a ter com a segurança dos seus códigos de acesso. Em certos bancos é também possível limitar as funcionalidades a utilizar.

Se experimentar o serviço de e-banking rapidamente vai trocar as suas idas às agências do seu banco, pelo conforto da sua casa.

Anúncios