Vodafone usa Google e mostra posição dos clientes

A Vodafone permite, desde a semana passada, que os clientes usem os populares mapas e imagens de satélite da Google em alguns modelos de telemóveis. O serviço detecta automaticamente a localização do utilizador, assinala o respectivo local no mapa e permite definir um percurso para fazer a pé ou de carro.

A funcionalidade pode ser uma alternativa aos sistemas de GPS. Contudo, o director de produtos e inovação da empresa, António Carriço, admite que “a precisão da localização através da rede móvel pode ser menor” do que no GPS. Mas, sublinha, é mais rápida, não precisa de um equipamento específico e funciona em qualquer local onde o operador tenha cobertura de rede (segundo a empresa, 99 por cento do território nacional), nomeadamente dentro de edifícios, contrariamente ao que acontece com o GPS. “As diferenças fazem com que cada uma destas formas de localização seja adequada a necessidades distintas”, acrescenta.

Nestes Google Maps para telemóveis, a identificação da posição do utilizador é feita com recurso às mesmas células da rede Vodafone que são usadas para efectuar chamadas.

Quando um telemóvel se desloca de um local para o outro, vai sendo abrangido por células diferentes, de forma a manter a ligação à rede. A localização do utilizador nos mapas tem por base a posição da célula à qual este está ligado num dado momento (coordenadas que são conhecidas da empresa) e o raio de acção dessa célula, que varia consoante a densidade das comunicações e as características de cada área. Numa zona urbana, explica António Carriço, o raio de uma célula tem “algumas centenas de metros”.

À semelhança do que já acontece com o serviço que a Google oferece na Internet, o utilizador poderá ampliar a imagem e navegar pelos mapas com um grande nível de detalhe.

O serviço é, para já, compatível com 25 modelos de telemóvel de várias marcas (entre a média e a alta gama), mas o operador está a trabalhar para alargar o leque de modelos em que a aplicação pode ser usada. Para aceder aos mapas é ainda preciso ter uma ligação à Internet via telemóvel.

Fonte: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1324528

C32: Cuidados a ter na compra de um GPS

Há um novo termo do mundo da tecnologia que entrou no léxico de muita gente, em especial das pessoas que têm dificuldade em saber por onde andam. Esse termo é GPS, que em inglês significa Global Positioning System.

O que é um GPS?

GPS é um sistema de rádio navegação, baseado em satélite, desenvolvido e operado pelo Departamento de Defesa Americano.

As funções básicas de um GPS são informar as coordenadas de um determinado objecto na terra e dar orientação de navegação para qualquer outro ponto. O GPS foi originalmente criado para aplicações militares, mas nos anos oitenta, o governo Americano disponibilizou o sistema para uso civil. Os GPS trabalham em qualquer condição de tempo, em qualquer lugar no mundo, 24 horas por dia, e não é cobrada nenhuma taxa para se usar o GPS.

Com a chegada do Natal muita gente sentir-se-á tentada a oferecer a si mesma ou a alguém mais chegado um GPS, prenda muito útil, que deixará qualquer adulto muito satisfeito. Aqui deixamos algumas dicas para escolher o equipamento mais indicado.

• Queremos ou não um GPS portátil?
Os GPS portáteis cabem no bolso, mochila ou no suporte para o painel do carro. Alguns, também se apresentam em formato de relógio de pulso, ideal para pessoas que fazem caminhadas ou andam de bicicleta e que, desse modo, precisam de um equipamento GPS leve.

Os dispositivos para automóveis geralmente incluem mapas ou permitem que você faça o download de informações complementares. Muitos também fornecem direções por comando de voz para que se possa manter sua atenção na estrada, ecrãs tácteis e opções de instalação.

• Também devemos pensar se queremos só GPS, ou um equipamento que leia MP3, que ligue ao Ipod, ligue ao Bluetooth do telemóvel, etc.
• Se queremos só mapas de Portugal / Espanha ou toda a Europa.
• O contraste do ecrã quando o sol bate no mesmo.
• Quando são portáteis, qual a autonomia da bateria.
• Ver os mapas dos equipamentos antes de comprar, pelo menos na zona onde vai usar.
• Ver quanto custam as actualizações dos mapas.
• Ver se uma solução PDA / GPS, por razões de programas do PDA, não será mais compensadora.
• Precisão: A maioria dos dispositivos GPS pode determinar a nossa localização dentro de 15 metros. Se precisar de maior precisão, procure GPS diferencial (DGPS), que calcula sua localização de 1 a 3 metros.
• Opções de interface: Os dispositivos de GPS apresentam uma variedade de tamanhos de ecrã e podem ser monocromáticas ou coloridas. Os ecrãs maiores e coloridos custam um pouco mais do que os dispositivos de ecrã monocromática. Os ecrãs coloridos fornecem mais detalhes, porém gastam mais bateria. Ao pesquisar a descrição dos itens, avalie a imagem que o vendedor fornece e certifique-se de que o ecrã é adequado para suas necessidades. Ao comprar um dispositivo GPS para veículos, observe a navegação por toque no ecrã, comandos de voz audíveis para direção e computador de bordo. Essas características ajudarão a manter os olhos na estrada e o computador de bordo avisará sobre a distância restante quando você dirige do ponto A para o ponto B.
• Armazenamento de dados: Muitos dispositivos GPS vem com mapas embutidos, mas pode armazenar mais informações caso o seu equipamento seja compatível com cartões removíveis de memória Secure Digital ou CompactFlash. Os dados de mapeamento não ocupam muito espaço e muitas unidades já vem com cartões de memória de 128 MB.
• Unidades GPS de combinação: Dispositivos GPS independentes funcionam perfeitamente para a maioria das pessoas, mas alguns PDAs vem com a funcionalidade embutida. Se precisa de um PDA, considere uma dessas combinações.
• Procure um dispositivo de GPS com design reforçado e características de resistência às intempéries se deseja usá-lo ao ar livre.